Como funciona a LGPD na indústria 4.0?

Legislação traz regras para o uso de diferentes tecnologias, como robótica, inteligência artificial e internet.

A LGPD na indústria 4.0 traz diversas regras sobre o uso de dados pessoais nas empresas. Assim, o setor deve conhecer e se adequar à legislação. Antes de trazer os impactos da LGPD na indústria 4.0, é preciso partir do princípio. Afinal, quais são as principais orientações apresentadas por esta lei?

Em suma, a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais protege os direitos das pessoas, ou seja, visa garantir a liberdade, a privacidade e a livre formação da personalidade de cada indivíduo.

Assim, traz 65 artigos com normas para assegurar esses direitos, por exemplo, a LGPD traz regras para todo o tratamento de dados pessoais.

Deste modo, o ciclo inteiro precisa estar de acordo com a lei, tanto a coleta de dados quanto a classificação, o acesso, o uso, a reprodução, a forma de armazenar, processar e até eliminar as informações.

Portanto, a LGPD vai além da indústria 4.0 e se aplica também a outros setores, como, hospitais, edifícios comerciais, escolas e até mesmo redes sociais em geral.

Leia também: Quais os desafios da LGPD em hospitais?

Embora a promulgação seja de 2018, a LGPD entrou em vigor em 2020 e, ainda assim, algumas empresas ainda precisam de adequações.

LGPD na indústria 4.0

Após entender em que consiste a lei, é hora de entender como a LGPD atua na indústria 4.0. Este conceito representa a automação industrial, logo, a inteligência artificial, robótica, computação em nuvem e internet das coisas.

Portanto, a indústria 4.0 tem como objetivo melhorar os processos e aumentar a produtividade, enquanto a LGPD neste setor traz as regras que regem o uso de todas estas tecnologias.

Com isso, as empresas da indústria 4.0 devem integrar a LGPD em todos os processos. Em primeiro lugar, é aconselhável contratar uma empresa especializada em implementação de LGPD, como o Grupo IAUDIT. Também é preciso investir em novas tecnologias porque o mercado criou ferramentas que garantem a proteção necessária na hora de tratar os dados.

Você também pode gostar de: LGPD em redes sociais: como manter as informações seguras? 

Existem novas medidas de segurança que vão além de firewall e antivírus, com ferramentas de ponta para tratar dados em todo o processo e, além disso, é preciso criar protocolos de segurança.

Conheça aqui os planos de adequação com a LGPD oferecidos pela IAUDIT.

Em seguida, a recomendação é para uma revisão de políticas na hora de tratar os dados pessoais, para que possa ser criada uma política com base nestas regras. Por fim, todos os funcionários precisam de capacitação, afinal, as novas regras e ferramentas exigem um treinamento adequado.

Após a capacitação, a empresa pode definir se é o caso de destacar uma equipe apenas para cuidar do cumprimento da LGPD. Este passo é uma forma de garantir a segurança nos processos para a indústria 4.0, pela magnitude do uso da tecnologia nas empresas.

Para minimizar ainda mais os riscos, outra dica importante é criar um plano de contingência para que, caso ocorra algum descumprimento na LGPD, seja possível mitigar os danos.

Exit Popup for WordPress
plugins premium WordPress